quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Para refletir: Matando Beethoven.


"Um professor na Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia um dia perguntou aos seus alunos. 
"Aqui é a história da família. O pai tem sífilis. A mãe tem tuberculose. Eles já tiveram quatro filhos. O primeiro filho é cego. O segundo filho morreu. O terceiro filho é surdo e o quarto filho tem tuberculose. A mãe está grávida. Os pais estão dispostos a ter um aborto se for recomendado. O que é que vocês recomendam?" 
A maioria dos alunos optaram pelo aborto. 
"Parabéns," anunciou o professor. "Você acabou de matar Beethoven." 
Nada é tão final quanto à morte, mesmo quando é feito cedo na vida."

- Terence Patterson em James S. Hewett, “Illustrations Unlimited” (Ilustrações Ilimitadas) (Wheaton: Tyndale House Publishers, Inc, 1988) p. 113.

4 comentários:

  1. E quantos gênios tiveram a VIDA ceifada desta maneira...
    É mesmo muito reflexivo, meu amigo!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá Malu, este texto nos faz refletir o quanto o ato do aborto é cruel, realmente quantos gênios deixaram de existir por conta de um aborto.
    obrigado, abraços!

    ResponderExcluir
  3. BOA TARDE TIAGO.nada no mundo justifica : seifar uma vida...
    CADA qual; carrega um carma .
    SEJA ...com seus erros ou virtudes.

    UM ABÇ AMIGO
    Alice.

    ResponderExcluir
  4. Olá amigo..
    Post mt interessante..

    Quero convidá-lo a seguir-me no meu blog..

    http://canetaativa.blogspot.com

    Obg..

    ResponderExcluir


Publicidade                   Anuncie Aqui

Postagens populares